2008-12-20

FELIZ NATAL



Por tudo quanto é sítio, ouvimos que o Natal é, por excelência, a época de dádiva, de solidariedade. É a época em que nasceu Aquele que veio para nos salvar. Nesta época, os pobres sentem mais aconchego, os desvalidos da sorte aquecem o estômago. Aqueles que podem - e, principalmente, aqueles que querem - multiplicam-se em ações solidárias, distribuindo comida e agasalhos pelos esquecidos de Deus. Nesta época, principalmente, as crianças são especialmente lembradas. Nas igrejas reza-se, com refinado fervor, pelas crianças de África, para que tenham um Natal com menos fome. Nas empresas, os empregados reunem-se com os patrões e/ou chefes, numa salutar convivência; empresas há que promovem idas ao circo, dos filhos dos funcionários.
E uma lágrima teimosa assoma ao canto do meu olho esquerdo, que é o do lado do coração, e rola suavemente pela minha face que acusa, já, alguns sinais de anos vividos.
Em resumo: o Natal é a época, por excelência, de lavagem de consciências. E ainda bem! Quero dizer, ainda bem que o Natal é só um dia no ano. Porque sempre sobejam 364 dias (365 de quatro em quatro anos), para nos esquecermos das crianças com fome, do frio que passam os sem-abrigo, para os patrões poderem, olimpicamente, esquecer-se dos empregados (mas lembram-se quando é para os despedir), para as rezas poderem continuar nas igrejas mas sem provas da sua eficácia, para os chefes continuarem a exercer o poder sobre os subalternos esquecendo-se, provavelmente, da época em que também eram, eles próprios, subalternos.
Além disso, ainda ninguém conseguiu explicar-me DE QUE é que eu fui "salvo" por alguém que, provavelmente (e não há quaisquer provas disso) nasceu há mais de dois mil anos... quando eu só nasci há pouco mais de sessenta.
Trezentos e tal dias num ano compensam, plenamente, a hipocrisia de um dia só. De qualquer modo, nem custa assim tanto lavar a consciência em um dia do ano; nos restantes 365 ela pouco uso tem...
Feliz Natal.

Um comentário:

dora disse...

Penso exatamente como tu.
Tirastes as palavras da minha boca.
É muito bom ver alguem expressar o que sentimos, quando nos falta a competencia para explanar tantas coisas que nos incomodam, e que não conseguimos por nós mesmos...
Dá-me gosto ler teus textos em teu blog.Parece que desabafo, atraves de ti.
E esse, sobre o natal, está DEMAIS !!!