2009-03-08

FOI VOCÊ QUE PEDIU UM "PAÍS LAICO"?

Com a devida vénia (e sem qualquer pingo de vergonha) aqui vai o "copy/paste" de um artigo publicado hoje no "Diário Ateísta", na autoria de Carlos Esperança:

A Assembleia da República já foi o coração da democracia. Na última sexta-feira foi a sucursal da Conferência Episcopal. Deixou de ser Parlamento e passou a ser um charco de água benta onde a maioria dos deputados rubricou de joelhos o milagre que o Papa adjudicou a Nuno Álvares Pereira.

O PCP absteve-se e só o Bloco de Esquerda votou contra e teve a decência de censurar o CDS por querer pôr – e pôs – o Parlamento «de uma república laica a reconhecer a cura milagrosa das lesões do olho esquerdo da D. Guilhermina de Jesus, sofridas pelos salpicos do óleo de fritar o peixe, para o qual invocou a intercepção do beato Álvares Pereira».

Portugal não é um País, é um pântano onde medra a fé e a superstição, um protectorado do Vaticano onde faltam cidadãos e sobram crédulos, um sítio beato onde se treme com medo dos báculos, se ajoelha quando aparecem mitras e se afocinha à vista do anelão com ametista que ornamenta os dedos dos senhores bispos.

Que o CDS, nostálgico do salazarismo e da cumplicidade com a Igreja, proponha um voto de congratulação pela canonização de D. Nuno, compreende-se. Paulo Portas gosta de rastejar nas igrejas para mostrar aos eleitores que crê nas cambalhotas que o Sol deu na Cova da Iria, nas visões da Lúcia e no anjo que aterrou no anjódromo de Fátima.

Do Presidente da República, da sua débil cultura e do passado como primeiro-ministro, em que sancionou a censura d’O Evangelho segundo Jesus Cristo, de Saramago, feito pelo sub-ajudante de ministro, Sousa Lara, podia esperar-se o indecoroso regozijo, em nome de Portugal, mas do PSD é um ultraje à decência. Estariam os senhores deputados convencidos de que o olho da D. Guilhermina foi curado por um acto de corrupção divina feito pelo defunto D. Nuno?

Mas o mais indigno dos partidos foi o PS. Um partido republicano, laico e socialista que rasgou a sua tradição e se tornou cúmplice de uma burla pueril, perdeu a referência ética que o faz respeitável e ajoelhou-se com a D. Matilde Sousa Franco e a D. Maria do Rosário Carneiro, ornamentos pios, para colaborar numa farsa e fazer coro com os que garantem que D. Nuno passou de Condestável a curandeiro.

2 comentários:

dora disse...

Politica...religião:-
-ignorância...
-cegueira...
-intolerância...
-absolutismo...
-fanatismo...
-radicalismo...
tudo farinha de um mesmo saco.
Haja saco!!!!

"Senta a ripa na xulipa",
Zé Moreira...

dora disse...

Hoje não vou comentar.
Hoje quero cumprimentar.
O escritor, que me proporciona deliciosas leituras (estou lendo teu livro, muito bom, já digo de antemão...)
O amigo, com quem divido momentos alegres ou tristes...
O artista, cantor, que com sua voz, sua musica,encanta
a todos...
O homem, que acima de tudo, tem sensibilidade para ser tudo isto e muito mais.
Sou sua fã.
Parabens pelo aniversário.
Muita saude, amor, paz.
Tudo de bom!!!