2009-01-23

A MÁ-LÍNGUA

É recorrente, como agora se diz, as épocas pré-eleitorais propiciarem alguns escândalos, que são mantidos, cuidadosamente, em lume brando enquanto os dois governos do costume vão governando. À vez de cada um, que estamos em democracia. Confesso que, nesse aspecto, o PSD leva vantagem. De quatro em quatro anos desenterra-se o processo de Camarate, e ai temos os sociais-democratas armados em vítimas - à boa maneira da Igreja Católica. O PS estava incólume. Até agora. Porque eis que alguém desencadeia (despoleta, como se diz em imprensoguês) um escândalo. Trata-se, nem mais nem menos do que a entrega de confortáveis"luvas" (confortáveis é eufemismo, não sei se já repararam) para que pudesse ser construído o "Freeport" em Alcochete. Sibilinamente, vão sugerindo nomes - que eu considero impolutos - de pessoas acima de qualquer suspeita. Manobra miserável, é o que é! Ainda há pouco a TVI lançava a suspeição de que as "luvas" teriam sido pagas ao ministro do ambiente de António Guterres. Ora, toda a gente sabe que o Ministro do Ambiente desse governo era José Sócrates. E só por má-fé é que se pode lançar uma suspeição sobre um homem integro que tem, ao longo destes quatro anos, dado provas da maior honestidade, por exemplo cumprindo todas as promessas eleitorais feitas.
A comunicação social tem grandes responsabilidades. A comunicação social sabe - devia saber! - que nunca, em Portugal, um político foi fazer umas férias do outro lado das grades. O que quer dizer que são todos honestos. E a prova de que são honestos é que todos eles foram reeleitos, mesmo depois de terem passado pelos tribunais. Prova provada de que o povo é quem mais ordena, e é que sabe.
Também pode haver alguém que possa, agora, alegar que José Sócrates está a usar o mesmo truque para ganhar as próximas eleições. Espera lá, talvez não fosse má ideia... Mas não acredito. O homem não ia descer tão baixo. É uma cabala, é o que é!
Não posso escrever mais, porque a revolta não me deixa. Fico com a certeza de que o nosso primeiro ministro vai passar incólume por mais esta provação, e o vilipêndio não lhe tocará nem ao de leve.
Em último caso, resta-me a esperança de que estas coisas nunca dão em nada. Porque receber "luvas" não é a mesma coisa que assaltar um banco. É o que nos vai valendo. De contrário, ainda corríamos o risco de ver honestos políticos (que são todos) presos inocentemente. Pelo que estou tranquilo, quanto ao futuro do nosso engenheiro.

Um comentário:

dora disse...

Não sou daí, não acompanho sua politica , mas faço um pedido..se tem politico honesto, aí, manda um pouco para cá, para o Brasil...porque aqui está uma vergonha!!!