2011-01-03

CARTA A UM AGNÓSTICO

Caro Molochbal:

Tenho vindo a acompanhar, com crescente e cuidada atenção, os seus comentários, nomeadamente no que tange a sua posição agnóstica. E deixe-me dizer-lhe que, apesar de não ser a minha posição, considero a sua postura como inteligente, prudente e razoável, quase cartesiana. Com efeito uma posição de "talvez sim, talvez não", acaba por ser uma situação cómoda – e até permite exercícios de ironia como o que se pode ler. Na verdade, nada nos prova que Deus existe, do mesmo modo que nada nos prova o contrário, embora eu defenda (e não estou só) que a inexistência não carece de provas.

Gostaria, no entanto, se esta posição racional se refere, apenas, à existência de Deus, ou se também abrange outras entidades. Por exemplo, o Super-homem, o Pato Donald ou o Peter Pan, sem esquecer a Fada Sininho, cujas existências não estão comprovadas, mas também nada há que prove que não existem.

Concretamente, e porque faz parte das minhas preocupações, gostaria de saber qual a sua opinião relativamente à possibilidade de existência da dupla Astérix/Obélix que, como se sabe, até têm algumas semelhanças com Jeová. Por exemplo, há um livro que afirma a existência de Deus; é a Bíblia e, afinal, não é um livro, são cinco, o chamado Pentateuco, uma imitação revista e ampliada da "santíssima trindade", que são só três pessoas numa só. Ora, a existência da dupla terrível é demonstrada por TRINTA E CINCO livros (eu tenho a colecção completa) que,

naturalmente, são mais fiáveis do que, apenas, CINCO. Mas há mais: diz-se que "Deus está em toda a parte". Estará; mas olhe que Astérix e Obélix de certeza que já lá estiveram. No Egipto, na Grécia, na Hispânia, na Inglaterra, não quero ser exaustivo mas parece que não há canto nenhum do mundo (e só há quatro, como sabemos, basta conferir na Bíblia) onde a eficaz dupla ainda não tenha estado. Finalmente, e para ficarmos por aqui, em termos de similitudes, há quem afirme que "Deus é todo-poderoso". Não duvido, mas quem diz isso certamente nunca viu o Astérix encharcado em poção mágica preparada pelo druida Panoramix. Isto para já não falar no Obélix que, como toda a gente sabe, caiu no caldeirão da poção mágica quando era pequenino, e os efeitos são permanentes.

Ora, perante estes factos, não acha que é, no mínimo, um sinal de sensatez, pôr a existência de Astérix e Obélix no rol das dúvidas metódicas?

2 comentários:

dor@ disse...

A ironia bem humorada com que abordas assuntos sérios é fantástico!
Adorei...adorei esta matéria!!

Nuno Coelho disse...

Quando vi que havia um comentário, precipitei-me a lê-lo, certo de que seria a resposta da igreja. Helas, não era. Será qe quem cala consente? Terão eles desistido de quem tem um átomo de raciocício, limitando-se a explorar os restantes? Que ainda são a maioria, triste verdade seja dita!