2008-11-21

HÁ CADA JUSTIÇA...!



É redundante e não é mais que um chavão dizer que a justiça é relativa. A decisão de um juiz, num caso em que intervenham duas partes, há-de sempre ser desagradável. Pelo menos, para uma delas.
Em Portugal, a justiça não foge à regra. O Código Penal é, sempre, muito severo na óptica dos condenados e/ou advogados, e muito leve para quem sofreu algum tipo de crime. Basta dizer que o máximo de pena que se pode ambicionar não vai além dos 25 anos de prisão. Quer mate uma pessoa, quer cometa um massacre.
Mas há casos que ainda nos (me) vão deixando com a boca aberta, como se não bastassem as idas ao dentista. Um jovem foi condenado a QUATRO penas de prisão perpétua. O que eu acho uma pena exemplar, uma vez que matou quatro pessoas. Ora, assim faz-se justiça: quando acabar uma pena de prisão perpétua cumpre a outra, e assim sucessivamente. No fim, ainda tem de cumprir mais 165 anos de prisão.
Estou convencido de que, cumpridas todas as penas. estará completamente integrado na sociedade e, como ainda é novo, tem toda uma vida à sua frente para ter juízo.

Um comentário:

Stefano disse...

como está o caso de Entre-os-rios e Casa Pia??
a Justiça puniu todos os culpados?